FEBRE AMARELA

Segunda-feira, 13 de novembro de 2017

A vacina febre amarela é desenvolvida a partir de uma forma atenuada (enfraquecida) do vírus causador da doença. Ela protege contra esta arbovirose (doença transmitida ao homem por um animal vetor – artrópode), comum em regiões próximas a florestas e matas.

Quando tomar: a vacina contra febre amarela deve ser administrada em crianças a partir dos 9 meses, adolescentes e adultos que vivam ou que irão viajar para as áreas de vacinação recomendada ou obrigatória. Alguns países exigem de seus visitantes o comprovante de vacinação contra a febre amarela, que deve ser tomada até 10 dias antes da viagem.

O esquema de vacinação atual exige uma única dose da vacina.

Aplicação: Subcutânea.

Contraindicação: Crianças de até 6 meses de idade e mulheres amamentando crianças de até 6 meses; gestantes (devem analisar os riscos com o médico em áreas de surto); maiores de 60 anos de idade devem avaliar com seu médico o risco do local onde mora ou para onde vai se deslocar); pessoas com histórico de alergia a componentes da fórmula (a vacina contém ovo de galinha e gelatina bovina); pessoas com imunossupressão ou imunodepressão graves; pacientes com câncer e transplantados.

A importância da prevenção: A febre amarela é uma doença infecciosa provocada por um vírus, que é transmitido ao homem pela picada de mosquitos. Existem duas formas de febre amarela: a silvestre e a urbana. A forma silvestre tem os macacos como reservatórios natural do vírus, que ao serem picados pelos mosquitos do gênero Haemagogus e Sabethes, podem transmitir a doença ao picar humanos. Já a forma urbana é transmitida de um indivíduo infectado ao outro por meio da picada do mosquito Aedes aegypti.

Nos dois casos, os sintomas e a progressão da doença são idênticos. O vírus da febre amarela se espalha rapidamente pelo organismo, atingindo fígado, rins, coração, pulmões e mesmo o cérebro. O paciente apresenta icterícia (pele e olhos ficam amarelados), sintoma que originou o nome da doença. Febre, dores de cabeça e musculares, vômito e diarreia são os principais sintomas. Em algumas pessoas, a febre amarela regride sem maiores consequências, mas em outras pode se tornar grave e colocar a vida em risco.

Em 2017, o Brasil passou por um grande surto da forma silvestre da febre amarela, o que fez a área de recomendação da vacina se expandir para boa parte do estado do Rio de Janeiro, a região de Campinas, no estado de São Paulo, e varias outras áreas de nosso país. Antes disso, todos os estados das regiões Norte e Centro-Oeste já faziam parte da área de recomendação de vacinação, além de regiões dos estados do Sul e do Nordeste. Como a dinâmica do vírus da febre amarela pode ser bastante rápida, é aconselhável sempre consultar as regiões onde a vacinação está indicada.