HPV

Segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Esta vacina protege contra o Papilomavírus Humano (HPV, na sigla em inglês) e foi desenvolvida a partir de proteínas do vírus, sendo uma vacina não viva, e , portanto, sem risco de causar a doença após a sua administração. O papilomavírus humano é uma DST (doença sexualmente transmissível) muito frequente, que provoca verrugas genitais e pode levar ao câncer do colo de útero, vulva, vagina ou ânus, alem da orofaringe (garganta) e pênis.

Estão licenciadas no Brasil duas vacinas contra o HPV. A bivalente que protege contra os tipos de vírus 16 e 18, que causam câncer e a quadrivalente que imuniza contra quatro tipos (6, 11, 16 e 18), ou seja, tipos relacionados a câncer e a verrugas genitais.

Quando tomar: A indicação da vacina contra o HPV permanece a mesma, sendo que meninas e mulheres devem receber a partir dos 9 anos de idade. No entanto, o número de doses mudou conforme a faixa etária (esquema abaixo), com a forma bivalente ou quadrivalente da vacina.

Para meninos e homens a indicação da vacina também continua a mesma, entre os 9 e 26 anos de idade, apenas com a forma quadrivalente da vacina. No entanto, o número de doses mudou conforme a faixa etária (esquema abaixo).

Sexo Feminino
Meninas menores 15 anos de idade: Duas doses com intervalo de 6 meses (0 – 6 meses);
Meninas maiores 15 anos de idade e mulheres: Três doses (0 – 2 meses – 6 meses)

Sexo Masculino
Meninos menores 15 anos de idade: Duas doses com intervalo de 6 meses entre as doses (0 – 6 meses) da vacina quadrivalente.
Meninos maiores 15 anos de idade e homens até 26 anos de idade: Três doses (0 – 2 meses – 6 meses) da vacina quadrivalente.

Aplicação: Intramuscular.

Contraindicação: Gestantes e pessoas que apresentaram alergia aos componentes da fórmula após a primeira aplicação.

A importância da prevenção: As verrugas, ou condilomas, provocadas pelo Papilomavírus Humano podem surgir em diversas partes do corpo, desde os órgãos genitais até lábios e cordas vocais. Além da prevenção contra as verrugas, a vacina tem o poder de prevenção contra diversos tipos de câncer e de lesões pré-cancerosas, envolvendo o colo do útero, vulva, vagina, ânus, orofaringe ou pênis. A transmissão do HPV se dá principalmente por via sexual ou simplesmente o contato sexual, mesmo sem penetração, sendo considerada uma DST. A infecção também pode ocorrer por via vertical (da mãe para o feto).

A vacinação, portanto, é a forma mais importante e eficaz de evitar esta doença e diversos tipos de câncer por ela ocasionados.